• Em-motion

Como Aprender Mais em Menos Tempo - 04 Passos Para um Estudo Mais Produtivo

Atualizado: 20 de Mai de 2019

#empreendedorismoconsciente #aprender #conhecimento #tecnica





De que forma você se relaciona com o conhecimento?

Para alguns, conhecimento é uma dádiva! Gera curiosidade, proporciona prazer e também liberdade. A oportunidade perfeita de ampliar sua visão sobre o mundo.


Mas para outros, ter que estudar ou buscar conhecimento é um peso. Algo trabalhoso, que demanda tempo, esforço intelectual. Preguiça né? As redes sociais são tão rápidas, conteúdo tão compactado, instantâneo. Para quê abrir um livro ou assistir a um curso, não é mesmo?


Pois bem, nesse artigo eu vou mostrar pra você que aprender não precisa ser um processo doloroso.


A própria vida é um processo pedagógico.

Ou você amplia sua visão sobre o mundo através do conhecimento, ou o mundo se encarrega de fazer isso por você e toma sua liberdade de julgamento e escolha.


Mas como eu sei que às vezes é difícil se concentrar nessa busca pelo conhecimento, com tantas distrações ao nosso dispor, resolvi buscar um método que te ajude a estudar mais e melhor.


Meu objetivo aqui é mudar esse paradigma com relação ao estudo. Aplicando esses 04 passos vamos, em nosso dia-a-dia, transmutar essa visão negativa do estudo para a maior ferramenta de liberdade que o ser humano pode ter.


Esse artigo ajudará você, que já é nosso aluno, a se concentrar em seus estudos e obter os melhores resultados com as nossas aulas.


Ao final, separei algumas dicas para melhorar o seu processo de aprendizado.


Está preparado? Então vamos lá.


Objetivo: Agilidade Mental


A mente do ser humano, na atualidade, segue a lei do menor esforço. Procuramos por informação altamente processada. Tudo da forma mais explícita possível, livre de profundas interpretações e raciocínios.


Não exercitamos o foco o suficiente para absorver o que está nas entrelinhas, o que é dito além das palavras. Existe uma preguiça mental que nos impede de aprofundarmos nossa interpretação.


Alguns exemplos disso na literatura clássica são obras como "Tao Te Ching", "O Caibalion" e "O Profeta". Bibliografias muito sucintas que carregam um significado grandioso.


E para conseguir absorver este significado é preciso se aprofundar, interpretar e correlacionar essas informações com nosso conhecimento pragmático.


O que nos ajuda a enxergar além da palavra escrita, ou dita, é justamente o enriquecimento de nossas referências e a erradicação da preguiça.


E é justamente no plano mental que essa preguiça causa mais danos, pois nos impede de tomar as rédeas de nossa própria vida.


Desenvolver a Agilidade Mental é colocar nossa mente para trabalhar. Operar de forma mais ativa!


E como faremos isso? Desenvolvendo 04 habilidades:

  • Leitura Ativa

  • Capacidade de Percepção Entre Ideias e Suas Relações

  • Capacidade de Análise e Síntese

  • Combinação entre Leitura e Memorização


#01 Leitura Ativa


Já começo explicando que o termo "leitura" aplica-se tanto ao texto escrito quanto a uma vídeo aula, por exemplo. O princípio dessa habilidade é o mesmo!


Como o objetivo é tornar sua mente mais ativa, não adianta entrar em uma aula ou abrir um livro sem saber o que está procurando.


Luiz Carlos Cabrera, Professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-Eaesp), citou brilhantemente em entrevista à Revista Você S/A:


“A atitude de quem quer aprender é diferente da de quem quer ser ensinado, e essa diferença é muito importante”

Querer aprender é uma atitude altamente ativa, enquanto querer ser ensinado é a própria definição de passividade.


É preciso exercitar a curiosidade, o querer saber, o investigar. Quando você abrir um livro ou clicar em uma de nossas aulas saiba desde já o que está procurando ali.


O que você pretende aprender ao assistir essa aula? O que você está procurando?


No caso dos livros, comece sua busca logo pelo título, depois leia cuidadosamente a contra-capa, o sumário, o prefácio. Faça uma verdadeira investigação sobre o conteúdo desse livro.


Lembre-se, você está estudando! Está buscando alguma informação ali, e fica muito mais fácil encontrá-la se você focar suas buscas.


No caso das videoaulas siga os mesmos passos. Leia a descrição da aula, verifique se há materiais complementares para baixar, veja se existe um artigo em nosso Blog referente ao assunto. Tudo o que você puder!


Você não é mais um receptor passivo de informações, você é um investigador Ativo e com Foco!



#02 Percepção Entre Ideias e Suas Relações


O segundo passo é exercitar sua percepção entre uma ideia e suas relações. Para tal, gostaria de explicar a diferença entre Inteligência e Raciocínio.


Inteligência deriva do Latim “Inter” (entre) e “Legere” (escolher), portanto, algo como a capacidade de escolher dentre.


A capacidade de correlacionar todas as coisas simbolicamente semelhantes no universo.

E é essa habilidade que você usará para relacionar a essência de um fato a outro.


Ligar premissas com conclusões não é inteligência, é raciocínio.


Aqui nessa etapa você busca sempre associar passagens do texto ou do vídeo com outras referências bibliográficas que você possui ou até mesmo suas próprias experiências pessoais.


É um exercício de fixação de ideia que vai te ajudar muito na parte da memorização.



#03 Capacidade de Análise e Síntese


Até aqui você aprendeu que é necessário investigar, buscar pelas informações que você precisa. Em seguida, perceber as ideias e suas relações com outras referências. Essa é a análise!


Mas depois da análise é necessário sintetizar tudo o que foi apurado nessa primeira fase.

Separar o que é Essencial e o que é Informação Periférica.


Desenvolver a capacidade de síntese vai te ajudar não só nos estudos como em sua vida de modo geral. É a sua capacidade de se deparar com uma situação, evento, notícia, palestra, livro, aula e conseguir resumir em palavras chave o que aquela experiência significa.


Extrair o que é essencial e identificar o que é apenas informação periférica presente para contextualizar ou complementar a ideia central.


Para exercitar sua capacidade de síntese eu tenho uma sugestão: sempre que finalizar uma aula, tente resumir em 30 segundos a ideia central daquela aula.


Pense que um colega está lhe perguntando sobre o que é essa aula, e você precisa responder em 30 segundos. E não pode faltar nenhum informação essencial!


Quer um exemplo?


Você acabou de assistir a Branca de Neve e lhe perguntaram sobre o que se trata.


“O clássico ‘A Branca de Neve e os 7 Anões’ conta a história de uma linda jovem que tendo sua beleza invejada por sua terrível madrasta é perseguida em meio a floresta. Acaba encontrando abrigo na casa de 7 anões trabalhadores de uma mina. Mesmo recebendo abrigo a jovem é encontrada pela madrasta que, disfarçada, lhe oferece uma maçã envenenada. A jovem entra em um sono profundo capaz de ser despertada apenas pelo beijo do amor verdadeiro. Para insatisfação da Malvada Madrasta, Branca de Neve é beijada pelo príncipe e desperta do sono profundo. Sendo os dois felizes para sempre!”



Veja que eu poderia descrever a história com muito mais detalhes. Falar da relação entre a Branca de Neve e a Madrasta, do “Espelho, espelho meu…”, do caçador, do coração de animal que foi levado à madrasta no lugar do coração da jovem, enfim, muitos detalhes.


Porém, esses detalhes são apenas Informações Periféricas. O que a pessoa precisa saber está nesse “pitch” de 30 segundos e acabou! Toda a essência da história está aí.


E é justamente isso que eu estou sugerindo que você faça tanto com as nossas aulas quanto com livros ou qualquer informação que você precisar sintetizar.


Tente fazer o pitch de 30 segundos e depois verifique se não faltou nenhuma informação essencial. Essa é a síntese!



#04 Combinando Leitura e Memorização


A real compreensão do elemento de estudo e síntese bem feita possibilitam a memorização. Ou seja, se você conseguiu realizar os primeiros passos a memorização é só uma consequência.


É claro que se houver alguma informação periférica de apelo emocional, a memorização se torna muito mais fácil.


Além disso, é preciso ser estratégico com as próprias limitações. Carga horária excessiva de estudo não significa bom aproveitamento.


Isso gera aquela memória curta, famoso “estudar na véspera”. Você se mata de estudar na véspera da prova e memoriza aquele conteúdo por 24h no máximo, depois esquece tudo.


Quantidade não quer dizer sucesso na absorção de conteúdo. É necessário Eficiência.


Eficiência = Inteligência + Dedicação + Técnica

Muitos tem habilidade mental e tempo, e fracassam por falta de técnica. Por isso, vou te dar algumas dicas agora de como melhorar a sua técnica.


Dicas Para Melhorar Seu Processo de Aprendizado



Saúde e Ergonomia

Estudar é prioritário, mas não podemos esquecer de cuidar da nossa saúde. Inclusive porque a saúde influencia diretamente no nosso desempenho nos estudos.


Cuidado com as horas de sono, tente manter uma rotina de sono saudável. Fique ligado também na alimentação. Comidas muito pesadas causam sonolência, que atrapalha sua concentração.


Talvez seu horário disponível para o estudo seja justamente a noite depois de um dia de trabalho. Não é o melhor horário no que diz respeito à disposição, mas se for o único disponível você vai precisar se virar não é?


Portanto, cuidado com essa sonolência criada pela alimentação pesada.


Outra dica é ficar atento à sua postura. Não só pela questão física (má postura pode gerar dores no corpo) mas também pela neuro-associação que o seu cérebro faz a partir do seu corpo.


Deitado no sofá com o notebook no colo não é a melhor postura para se estudar. Seu cérebro associa essa posição à relaxamento, não à concentração e foco.


Agora quando você se senta em uma mesa, com uma cadeira na altura correta, seu corpo instantaneamente associa essa posição à concentração e foco. É hora de estudar!



Condições Mentais


A receita para uma boa condição mental de estudo é:

  • Postura Ativa

  • Motivação Intrínseca

Postura ativa, como mencionei lá no início, é a diferença entre querer aprender e querer ser ensinado.


Você está atrás de conhecimento, não o conhecimento atrás de você. Portanto, a melhor condição mental para se estudar e ter a clareza de que a absorção de conteúdo depende da sua dedicação.


Agora, o melhor exemplo sobre Motivação Intrínseca é o aluno que está estudando desesperadamente para uma prova e 1h antes do teste descobre que a prova foi cancelada.


Nesse momento o aluno pode ter duas reações:


  1. Ficar decepcionado por ter perdido tempo estudando para uma prova que não vai acontecer;

  2. Sentir-se satisfeito de ter estudado até ali e ao menos adquirido certo conhecimento no tema da prova.

O aluno da opção 01 não tem qualquer motivação intrínseca, já o da situação 02 tem clareza em entender que o objetivo de tudo aquilo é a absorção de conhecimento, e não somente uma nota ou aprovação.



Planejamento Estratégico


Rotina Adaptada


ATENÇÃO ao cálculo na hora do planejamento. Conhecem o senso de JUSTIÇA?


“Dar a cada um o que lhe corresponde, segundo sua natureza e seus atos.”

Conceito Platônico


Ou seja, não podemos admitir que os dias são todos iguais e que a carga de estudo pode ser dividida igualmente pelos dias do ano.


Em dias mais cheios a carga horário de estudo será reduzida. Mas mesmo que se estude pouco, é importante que haja algum estudo no dia.


Massificação


Outro ponto de atenção é a Massificação: primeiro passo para o fracasso. Cada caso é um caso, as coisas devem ser tratadas individualmente e o estudo também.


Cada assunto é um assunto, e para cada um o estudo pode render mais em determinados horários ou dias. Cada tema, cada assunto tem que ser tratado com singularidade.


Horário Nobre


Assim como citamos no artigo sobre Produtividade, é necessário detectar qual o horário nobre para o estudo. Dentro de suas possibilidades, é claro.


Faça um planejamento organizado com os assuntos que serão abordados cada dia, por exemplo.


Ritmo de Estudo


Outra dica valiosa de planejamento estratégico é o ritmo de estudo. Eu sugiro um estudo intervalado. Sendo 1h de estudo seguida de 15 minutos de descanso. Ah, dá uma olhadinha sobre a Técnica Pomodoro, eu citei ela também no artigo sobre Produtividade.


Esses 15 minutos de descanso não são 15 minutos no Facebook, ok? Descanso deve ser alguma atividade que recicle a sua mente, como por exemplo:

  • Cuidar de plantas

  • Tocar um instrumento

  • Passear com o cachorro

  • Lavar a louça


Conclusão


Depois de entender a importância da absorção de conhecimento em nossas vidas é hora de partir para a ação.


Com as condições de saúde e ergonomia ideais e um bom planejamento estratégico você conseguirá estudar tudo sobre qualquer assunto.


Lembre-se, você quer aprender e não ser ensinado. A vontade está dentro de você.


Depois me conta aqui nos comentários o que você achou do texto.


A Consciência cria. O Empreendedorismo transforma.


Camila Alves para a Em-motion.



577 visualizações3 comentários