• Em-motion

Desemprego: O Futuro Chegou!

Atualizado: 10 de Mai de 2019


Os Jetsons - Série Animada Produzida por Hanna-Barbera

Você deve se lembrar do desenho Os Jetsons, não? A série animada produzida pela Hanna-Barbera foi lançada em 1962 e trazia como enredo uma família do futuro. Mais precisamente, do ano de 2062.


A família Jetson é composta pelos pais George e June, os filhos Judy e Elroy, e o cachorro Astro.


Cansada de realizar tarefas domésticas, que em 2062 seriam basicamente acionar botões, segundo a série animada, June decide procurar ajuda e adquirir uma empregada robô.


Rosie é uma robô fora de linha que a família Jetson não troca de jeito nenhum por um modelo mais novo. Rosie faz parte da família!


E quem, ao ver uma pia cheia de louças, nunca pensou em ter um robô para executar tal tarefa?


Pois bem, o que não imaginávamos é que além de lavar as louças eles também teriam nossos empregos.


A série poderia soar como pura ficção na década de 60. Mas hoje, é possível enxergar um futuro de 2062 não tão distante assim.


Os avanços da tecnologia nos mostram, a cada ano, que qualquer tarefa repetitiva pode ser executada através de Inteligência Artificial. A exemplo das montadoras de carro, onde atividades insalubres como a pintura são executadas hoje por robôs.


Mas o que há de errado? Se estamos caminhando para um futuro onde máquinas exercerão funções de humanos, por que o objetivo do ser humano hoje é crescer, estudar e conseguir um emprego em uma boa empresa?


Se você está atento ao caminho de sua própria prosperidade, deve ficar atento à Inteligência Artificial.


O Paradigma Materialista


Há milhares e milhares de anos a sociedade vem crescendo e se desenvolvendo sob as leis sociais do paradigma materialista.



Pouco restou de uma visão sagrada da existência.


Características próprias dos seres humanos como a intuição são completamente subvalorizadas, pra não dizer que são sequer reconhecidas, nos tempos atuais.


A missão de vida deixou de ser a evolução humana enquanto parte integrante de um Todo, para tornar-se a evolução de um ser operário na terra.


O que estamos fazendo aqui? Qual nossa missão, nosso propósito? O máximo que conseguiremos de resposta a essas perguntas são justificativas racionais para o trabalho que executamos hoje.


Afinal, quando essas perguntas são feitas, temos uma tendência a pensar em missão, propósito e realização como ser humano através do trabalho.


E não há nada de errado nisso, afinal, como citou Gibran Khalil poeticamente em sua obra O Profeta:



“O trabalho é o amor feito visível.”


Acontece que ao longo de todos esse anos, o desenvolvimento materialista da sociedade nos forçou a buscar opções de trabalho que tem nos afastado ainda mais da visão sagrada do mundo.


E qual seria a solução para esse problema? Como tudo na vida: o equilíbrio!


Uma sociedade equilibrada seria capaz de se desenvolver associando tecnologia a um paradigma sagrado, de conexão e totalidade. Mas não é o que temos hoje.


O mundo inteiro vive dentro dessa grande bolha do materialismo. A cada ano que passa nos afastamos mais e mais de nossas próprias essências, e de tudo aquilo que é natural.


As pessoas deixam de acreditar em suas próprias forças como seres humanos integrais para acreditar na força e capacidade das máquinas.


Nós só esquecemos que essas mesmas máquinas, em pouco tempo, tratarão de exercer as mesmas funções as quais o ser humano dedica uma vida inteira para se aperfeiçoar.


Como assim? Estudar a vida toda para o meu trabalho ser substituído por um robô?


Bem vindo à era da Inteligência Artificial.


Inteligência Artificial


Inteligência Artificial é o nome dado à programação de computadores que buscam operar de forma idêntica ao cérebro humano.


Não precisa ir muito longe, basta observar o teclado do seu celular. Possivelmente para todos os Smartphones de hoje, existe uma opção onde ele sugere palavras enquanto você digita, baseado nas frases que você costuma enviar.


Ou seja, ele está programado para observar a sua maneira de escrever e memorizar as palavras mais usadas, para colocá-las em uma função rápida para você.


Indo um pouco mais longe, já existem registros de robôs que escreveram romances, textos inteiros. Já imaginou que isso que você está lendo agora poderia ter sido escrito a partir de algoritmos de criação de texto?


E o robô-cientista Adam que é capaz de usar a razão, formular teorias e descobrir conhecimento científico sozinho?


É justamente esse tipo de avanço tecnológico que vai acabar com inúmeros empregos nos próximos anos. Veja que estou usando a palavra “emprego”, e não trabalho.


O Ciclo de Vida do Homem Médio


Podem haver controvérsias baseadas na ilusão de que, para aquele que perdeu o emprego por conta dos avanços tecnológicos, basta que se capacite e conseguirá galgar novas funções.


No entanto, me refiro a essa teoria como ilusória uma vez que os empregos são organizados dentro de uma pirâmide, e a base da pirâmide é justamente onde está o maior número de empregos.


A medida que se sobe o nível dentro dessa pirâmide, os empregos ficam mais escassos. A mão de obra cada vez mais qualificada.


E é daí que vem a ilusão de que a capacitação é a solução dos problemas. Afinal, “se os robôs começarem a exercer minha função é só eu me qualificar e buscar um nível acima na pirâmide”.


Mas já imaginou o que vai acontecer quando toda essa base da pirâmide for substituída por máquinas e os respectivos desempregados se capacitarem para buscar um nível acima?


Saturação e mais desemprego! Sem contar que as máquinas precisarão cada vez menos de pessoas gerenciando seu funcionamento.


O George Jetson, por exemplo. Como homem do ano de 2062, trabalha 1h por dia, em apenas 02 dias da semana. O que ele faz? A manutenção do computador R.U.D.I.


E veja só que coincidência, mesmo com essa carga horária do homem do futuro George vive reclamando de esgotamento do trabalho e dificuldades em viver com algumas inconveniências.



Mas então por que estamos levando a vida dessa maneira?


O mundo virou uma fábrica de CEOs de grandes corporações.


As crianças nascem e seus pais já tratam de matriculá-las em uma escola em período integral com toda e qualquer atividade complementar que transforme aquela criança num mini adulto.


Depois crescem, estudam em boas escolas, fazem uma boa faculdade, pós graduação, mestrado, doutorado, tudo o que tiver direito (e dinheiro).


Tudo isso para ser o melhor, o mais capacitado, o mais qualificado, aquele que substituirá o outro humano da geração passada na cadeira de CEO.


Como eu disse, uma fábrica. Sai um, entra outro. E seguindo essa lógica, até mesmo os CEOs podem ser substituídos por Inteligência Artificial.



- O que eles fazem?

- Tomam decisões.

- Baseadas em que?

- Lógica.


E é aí que você, empreendedor consciente, entra nessa história.

O Pensamento Multidimensional do Empreendedor Consciente


Antes que você pense que a vida acabou e que daqui a alguns anos ninguém vai mais trabalhar, vou explicar o que nós seres humanos podemos ter que os robôs de inteligência artificial não tem.




O Pensamento Multidimensional.


A capacidade de analisar situações de várias dimensões simultaneamente, e não de maneira linear e sequencial.


É olhar para o seu próprio negócio e detectar os motivos pelo qual ele não vai pra frente ou não teve o faturamento esperado, além da nossa dimensão.


Se hoje você ainda derrapa na criação do seu novo negócio ou na sua própria prosperidade, é porque está fazendo uma análise meramente racional e unidimensional dos fatos.



O pensamento multidimensional é a solução, mas a solução é individual.


Ocorre que essa evolução, esse pensamento, só pode ser alcançado por você mesmo.


Assim como a educação, que como a própria etimologia da palavra já diz, “eduzir”, conduzir para fora, você deve buscar isso dentro de você e trazer à tona.


A educação não é um ato do professor que ensina, e sim do aluno que a partir dos estímulos do professor, conduz para fora seu conhecimento.



“Eureca!”


Você pode despertar para um novo paradigma lendo um livro, assistindo a um filme ou lendo um artigo como esse aqui!


E quando esse novo mundo se abrir, você sentirá a criatividade dentro de você. O Empreendedor Consciente cria o tempo todo, enxerga oportunidade em tudo, cria soluções, tem ideias originais.


Os problemas são inúmeros, e quem estiver pensando de forma multidimensional vai conseguir enxergar oportunidade de oferecer soluções a todos eles.


Reflexão


A tecnologia é uma corrida mundial feroz. Os avanços crescem de forma exponencial, e nenhum país quer ficar para trás.


Todos buscando novas tecnologias, e quanto mais dinheiro investido nisso, mais rápidos os avanços.


A realidade do mundo dos Jetsons depende apenas de dois fatores para chegar até nós:


  1. Capacidade de armazenamento de dados;

  2. Velocidade de processamento.


E o desenvolvimento desses fatores caminha lado a lado com as potências mais ricas do mundo.


Eu espero que meu texto tenha clareado essas ideias pra você e mais do que isso, que tenha despertado qualquer faísca que faça você conduzir para fora o seu pensamento multidimensional.


A Consciência cria. O Empreendedorismo transforma.


Camila Alves para Em-motion.




Referências


  • "Prosperidade de Fronteira: Inteligência Artificial" - Profº Hélio Couto





950 visualizações6 comentários